origem

ORIGEM

A criadora do maria zen sou eu, a Joyde:

joyde

Com formação em Ciências Biológicas e mestrado e doutorado interdisciplinares em meio ambiente, meu interesse sempre residiu na maneira complexa como nos relacionamos com o meio ambiente. Foi só quando minha saúde mental se tornou extremamente frágil e o aspecto pessoal desalinhou o caminho profissional que vinha trilhando que pude perceber como esse relacionamento também passava por quem somos e como nos vemos. A relação que temos com nós mesmos e com nosso entorno imediato é tão importante quanto a que existe entre sociedade e natureza e, mais do que isso, é interdependente!


Assim comecei a minha jornada interior. Logo na minha primeira paragem - a meditação Vipassana - encontrei o meu lugar e ali decidi ficar e me desenvolver. No entanto, nem todos têm a mesma sorte: para quem está numa busca solitária, até encontrar os apetrechos para a prática pode se mostrar uma experiência confusa e difícil. Foi assim que o maria zen surgiu: para facilitar o caminho de quem quiser meditar.

A meditação me trouxe tanto, me enriqueceu tanto, que gostaria que todos pudessem usufruir disso também. Ela deve estar ao alcance de todos que a quiserem encontrar (ou serem encontrados por ela), sem implicar em trilhar caminhos tão tortuosos e trabalhosos quanto o meu!

Sobre o nome

Pois é, contrariando a crença geral, eu não me chamo Maria!


A intenção com a escolha do nome era dupla. A primeira delas era mostrar, logo de cara, que se tratava de um espaço sobre meditação - daí o "zen". Não há nenhuma ligação direta com o Zen Budismo aqui, apenas com um termo que se tornou popular e é facilmente identificável.


A segunda foi usar um nome comum, simples de lembrar. Escolher uma palavra em páli ou sânscrito arcaico com um significado maravilhoso, mas que ninguém entende ou sabe escrever, vai no sentido contrário dos objetivos e valores do maria zen.

Maria também foi o nome de uma das minhas pessoas favoritas no mundo, minha vó. Essa na foto ao lado. Ela costurou informalmente por boa parte da sua vida e, apesar de sequer ter sabido o que era meditação durante a sua vida, foi um exemplo de pessoa iluminada. Tenho certeza de que ela teria ficado muito feliz com os meus novos intentos e teríamos horas e horas de conversas sobre isso enquanto preparássemos almoços e eu ralasse o queijo. Ela detestava ralar queijo.


Assim, o maria zen também é uma homenagem (e um naco do meu amor).