O que é a meditação

(e como escolher a melhor pra você)

A confusão que gira em torno do que é a meditação não é à toa: existem dezenas, senão centenas, de definições e escolas diferentes ligadas a ela. Alguns dizem que a meditação é um estado de atenção, outros defendem que ela só pode ser entendida enquanto prática, e assim por diante. Talvez haja um consenso maior sobre se tratar fundamentalmente de um exercício mental de regulação da atenção. Mas vamos ser sinceros? Tanto faz essa disputa de conceito. O que importa é que você encontre a definição com que se identifica inteiramente, não só para que tire mais proveito, mas para que tenha mais chances de levar a prática adiante.

 

Também é fundamental que você tenha claridade sobre os seus objetivos e expectativas. Normalmente as pessoas começam a meditar por três motivos principais. O que te motiva mais?

  • Benefícios específicos: melhorar a saúde, bem estar, desempenho, foco, memória, criatividade, autocontrole, etc.
  • Espiritualidade: conectar-se com deus, transcender o ego, encontrar paz, etc.
  • Crescimento: desenvolvimento espiritual, cura emocional, terapia, etc.

 

Pra facilitar mais um pouquinho, trazemos os dois principais grupos das linhas de meditação existentes hoje e links para textos sobre cada tipo de meditação. A partir dessas informações básicas e da identificação das tuas próprias motivações ficará mais fácil saber qual combina com você e vale uma pesquisada extra no Google ou visita a algum centro especializado. Nossa intenção aqui é só dar um empurrãozinho inicial ;)

 

Outra alternativa é experimentar algum app de relaxamento/meditação pra ter um gostinho. Não testamos nenhum, então se quiser nos contar a sua experiência, sua contribuição será mais do que bem-vinda.

(

Meditações de atenção focada

Provavelmente o tipo mais conhecido (sim, é aquela do OM, mas não só!). Neste grupo a atenção é direcionada a apenas um objeto, pensamento, evento, som, etc. Ao atingir esse foco único, todo o resto "desaparece", incluindo até mesmo a noção de tempo. Normalmente este tipo de meditação é realizada em um lugar tranquilo, de olhos fechados e numa posição confortável, sem interrupções. Tanto a intensidade quanto a estabilidade da atenção são desenvolvidas.

 

  • Shamatha: também chamada de "meditação estabilizadora", pode ter como foco a respiração, um conceito, uma imagem, etc. Tradicionalmente ligada ao budismo.

 

  • Zazen: base do Zen Budismo. Objetiva "apenas sentar" em conexão com a própria mente.

 

  • Metta bhavana: também conhecida como meditação do amor universal ou do amor compassivo. Como o nome sugere, é uma forma de cultivar sentimentos positivos em relação a nós mesmos e aos outros.

 

  • Meditação dos chakras: chakras são os centros de energia do corpo. Esta meditação objetiva integrá-los e reestabelecer o fluxo energético, proporcionando maior vitalidade.

 

  • Meditação Kundalini: criada por Osho e praticada em quatro estágios (dois deles com movimentos ativos), permite desbloquear e deixar fluir a energia vital.

 

  • Pranayama: técnicas de respiração para aprender a respirar da maneira correta (e colher os vários benefícios disso).

 

  • Meditação com mantras: este é mais um estilo que uma linha, visto que correntes do budismo (como o Nitiren Shoshu), hinduísmo, etc., se utilizam dessa técnica. Mantras (sons com vibrações específicas) são repetidos durante a meditação, o que ajuda a acalmar e energizar.

 

  • Meditação transcendental: a linha mais polêmica por se assemelhar a uma seita (dizem), ter práticas duvidosas (dizem) e pelos valores cobrados para ser ensinada. Introduzida em 1958 e seguida por uma porção de gente famosa desde então (dos Beatles a Ellen DeGeneres, David Lynch, Katy Perry, Jerry Seinfeld...), envolve o uso de mantras com propriedades psicoativas, permitindo que a mente do praticante "transcenda".

 

  • Qigong: ramo da Medicina Tradicional Chinesa,visa a mobilização da energia sutil do corpo, a correção de desarmonias e o reestabelecimento do equilíbrio da saúde física e emocional. Pode ser praticado de maneira estática ou dinâmica.

 

Nas meditações de atenção plena a concentração está no presente e em tudo aquilo que eventualmente surgir. Assim, não há um foco específico em um objeto, apenas você ficando alerta e consciente de sensações (ou pensamentos, atividades ao redor, etc.), monitorando a realidade. Não se atém a nada em particular, apenas se realiza a observação sem reação e sem julgamento daquilo que acontece.

 

Estas são as principais escolas:

 

  • Meditação mindfulness: a mais popularizada atualmente, é uma adaptação ocidental de práticas budistas (especialmente a Vipassana). Não há uma ênfase espiritual ou religiosa nesta linha; trata-se de estar presente no momento atual, de maneira a acalmar e fortalecer a mente. Existem dezenas de técnicas diferentes, portanto vale uma pesquisa mais longa. Ou então já partir pro ataque e conhecer uma de 3 minutos.

 

(O porquê do favorecimento? Só porque é a técnica que seguimos e amamos :D)

 

  • Meditações taoístas: são várias (“meditação da purificação do coração”, “meditação do sorriso interno”, a prática de "sentar na calma", etc.), mas todas objetivam a pacificação e vitalização da mente e do coração.

 

 

Meditações de atenção plena

)