origem

Origens & inspirações

A criadora/responsável/proprietária/publicitária/costureira/faxineira/flanelinha/guarda-costas/faz-tudo deste espaço sou eu, a Joyde:

joyde

Venho de uma jornada acadêmica que começou com a minha formação em Ciências Biológicas e passou, mais recentemente, por um doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento. Ou seja, nada a ver com meditação e costura, certo? Mais ou menos.

 

O maria zen surgiu de uma necessidade e várias inquietações.

 

A necessidade era pura e simplesmente viver melhor. O ambiente acadêmico pode ser um dos mais estressantes, neuróticos e egóicos do mundo e isso me atingia muito. Embora tenha alcançado conquistas que me deixam orgulhosa, também estava mais ansiosa e deprimida do que nunca. Foi aí que aprofundei minhas leituras sobre meditação e budismo, experimentei de fato a meditação e finalmente comecei a viver melhor. Independentemente das circunstâncias.

Valores & objetivos

A meditação me trouxe tanto, me enriqueceu tanto, que gostaria que todos pudessem usufruir disso também. Ela deve estar ao alcance de todos que a quiserem encontrar (ou serem encontrados por ela)! E a minha contribuição para que isso aconteça se dá por uma combinação de informações & produtos para a sua prática.

 

As informações são tanto para quem não sabe nada sobre meditação/yoga quanto para pessoas já familiarizadas, não importa a linha. A intenção é trazer dados atualizados e de fontes confiáveis sobre as suas características gerais, benefícios e novas descobertas, além de desmistificar alguns dos (muitos) mitos relacionados e divulgar, em especial, a linha Vipassana.

 

Os produtos são todos feitos de maneira artesanal, com materiais de fabricação nacional de empresas certificadas socioambientalmente e para todos os gostos. Tão importante quanto, não quis que esse cuidado tornasse o preço abusivo, como muito se vê por aí. O acesso facilitado é prioridade.

Sobre o nome

Pois é, contrariando a crença geral, eu não me chamo Maria!

 

A intenção com a escolha do nome era dupla. A primeira delas era mostrar, logo de cara, que se tratava de um espaço sobre meditação - daí o "zen". Não há nenhuma ligação direta com o Zen Budismo aqui, apenas com um termo que se tornou popular e é facilmente identificável.

 

A segunda foi usar um nome comum, simples de lembrar. Escolher uma palavra em páli ou sânscrito arcaico com um significado maravilhoso, mas que ninguém entende ou sabe escrever, vai no sentido contrário dos objetivos e valores do maria zen.

 

Maria também foi o nome de uma das minhas pessoas favoritas no mundo, minha vó. Ela costurou informalmente por boa parte da sua vida e, apesar de sequer ter sabido o que era meditação durante a sua vida, foi um exemplo de pessoa iluminada. Tenho certeza de que ela teria ficado muito feliz com os meus novos intentos e teríamos horas e horas de conversas sobre isso enquanto preparássemos almoços e eu ralasse o queijo. Ela detestava ralar queijo.

 

Assim, o maria zen também é uma homenagem (e um naco do meu amor).